Não houve início, não há fim.

A manhã está fria e cinzenta de tão vazia,
ninguém me vê

no mar tão macio, tão pequeno ao meu redor e
tão cheio de mim,

espero as horas que chegam, e partem, e voltam
parecem-me mulheres perdidas, desamadas, loucas,
cheias de silêncio levando as marés,

não ficam, não vou

ninguém é meu, ou minha,
não há histórias, não há memórias, não há cheiros,
não há canções, não há paredes manchadas, nem roupas estragadas,
não há flores no jardim, não há passos junto à porta,
não houve início, não há fim,
não há cama para fazer, nem mesa,
nem janela para abrir, nem livro pra fechar,

há um vazio
que não é possível,

um desejo
que não cresce

há uma dor
que não mata

Alma Kodiak

Anúncios

8 comentários sobre “Não houve início, não há fim.

  1. Li apenas 3 poemas de Alma Kodiak, mas estou apaixonada por estas apalavras azuis e densas. Encontrei este blog precisamente enquanto buscava a sua poesia e apaixonei-me tambem. Parabéns.;)

  2. Amelia, tbem estou procurando, tirei de um blog e nao me recordo qual foi, o que sei é que procurei muito tbem e nao encontrei nada. Se vc descobrir, conto com sua ajuda tbem! Abs querida amiga lusitana!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s