Nem passado, nem medo.

A vida é a oferta que agradeço
hoje. Toda a vida é hoje. Os teus olhos
e os meus olhos. O ponto em que se deram
é hoje. E até onde chegam e de onde
regressam, é hoje.

Toda a vida é hoje, e parece-me
suficiente o ter vivido tanto
se neste hoje de hoje cabe o teu lúcido
olhar sobre mim, e o futuro é
um hoje perpetuamente teu.

Concede-me agora
a felicidade de morrer, hoje que não tenho
nem passado nem medo.

Federico Gallego Ripoll

Anúncios

É difícil entender.

– O que é aquilo?
– Flor do Trevo Branco.
– Flor do Trevo Branco…
Flor do Trevo Branco…
– E isso é um dente de leão.
– Está prestes a nascer agora?
– Não, ela já está murcha.
– Pobrezinha.
– Mas ela tem que morrer um dia.
Do contrário, o mundo estaria transbordando.
– É difícil entender.

Do filme  “Air Doll” (2008)

Eu prefiro me explicar, entendeu?

Eu não gosto muito de ser opaco, de parecer que tem alguma coisa que nem eu sei o que é e que ninguém sabe o que é, eu não gosto. Então eu me autodismistifico muito. Eu acho um pouco angustiante a pessoa ser…parecendo que a pessoa é …possuída por alguma coisa de que ela própria não tem consciência e que os outros não podem entender…eu não quero ser isso…Bob Dylan quer ser isso, mas eu não quero. Mesmo porque as pessoas usam isso para impôr poder abusivo sobre as outras, entendeu? é uma questão também de necessidade de justiça. Não gosto de obscurantismo, não gosto de me deixar enganar e não gosto de enganar os outros. É isso o que eu acho que eu chamo de lúcido. Eu sou do sol, eu quero ser lúcido e feliz. É muito difícil, mas eu fico fazendo um esforço, tentando. Eu prefiro me explicar, entendeu?

Caetano, no documentário “Coração Vagabundo” (2008).

Deixar de dizer.

Chegamos então à beira do velho precipício – o entusiasmo das palavras vagas. É a este antigo último recurso que recorremos sempre – exclamações ou frases compulsivas que não conseguimos deixar de dizer.

Nuno Ramos