Mais um infeliz.

Ele morava na rua de Saint Sulpice. Mas deixou a casa.
«Perto demais do Sena, disse ele, e um passo em falso dá-se num repente».
Foi-se embora.

Pouca gente pensa no facto de a água existir;
água profunda, e por toda a parte.
Os rios dos Alpes não são tão profundos,
mas são extremamente rápidos (o que vem dar ao mesmo).
A água é sempre a mais forte,
seja lá qual for a maneira como se apresente.
E como se encontra por todos lados, em quase todas as estradas…
bem pode haver pontes e mais pontes — basta faltar uma
e a pessoa afoga-se, tão certo como antes de haver pontes.

«Tome Hemostil, dizia o médico,
isso é do sangue.»
«Tome Antastene, dizia o médico,
isso é dos nervos.»
«Tome bals dizia o médico,
isso é da bexiga.»

Oh! a água,
toda essa água pelo mundo fora!

 

Henri Michaux, como sempre, tão lindo…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s