Faço parte de tudo que conheci.

“Faço parte de tudo que conheci.” Vocês todos, saibam ou não, tendo entrado na trama da minha vida e saído de novo, deixaram uma parte transitória de vocês que eu transformarei em algo. Ainda não há nada, mas haverá uma mudança radical, capaz de gerar uma coisa rica e inesperada. Através de mim, a transmutação.

Ah, eu mordo, mordo a vida como uma maça suculenta. Brinco com ela feito um peixe e sou feliz. E o que é ser feliz? É seguir sempre em frente. Há algo melhor a ser feito do que aquilo que já fiz, e impulsinado pela ilusão do progresso, buscarei progredir, fincarei as esporas em meu flanco, mais e mais – até aprender. Sempre.

Tenho uma fonte de vida profunda, clara, agridoce. Todos os nomes, já, e os lugares. E nem sequer me aproximei ainda do final.

Dos diários de Sylvia Plath, pg. 168 (Globo).

Anúncios

2 comentários sobre “Faço parte de tudo que conheci.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s