Devir


Lá fora corre um rio que eu não sei de onde vem ou para onde vai. Ouço suas águas e sinto que o rio me ouve também. Eu quero ser uma folha largada neste rio e continuar sem ter destino. Eu quero ser apenas essa folha, girando, sem tocar margem nenhuma. Eu quero não poder parar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s