Posso eu não ser eu?

Posso eu não ser eu? E, sendo eu, posso agir de modo diferente do que ajo? Posso ser eu e um outro? E, desde que estou no mundo, acaso houve um único instante em que isso não fosse verdade?

 

Denis Diderot, Jacques, o Fatalista e seu Amo (Nova Alexandria), pg. 19

diderot.jpg

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s